terça-feira, 7 de maio de 2013

Ora então foi assim... (parte 1)

(Já disse aqui que estou apaixonada? E que é uma paixão imesurável?)



Tudo a correr conforme o previsto, até que, na consulta das 37 semanas (24/04/2013), na ecografia, é revelado que o nível de líquido amniótico é menor que o que seria previsto. E que, sendo assim, o Baby I não iria poder continuar cá dentro por muito mais tempo. Os planos foram recorrer ao SU no dia 28 para medir o nível de líquido e, das duas uma: ou o líquido se mantinha em níveis aceitáveis e o baby I iria nascer no dia 2 de maio ou o líquido diminuía e o nascimento teria que ser antecipado, podendo ter mesmo de ser nesse dia (dia 28). 

Primeira reacção (dia 24 a sair do consultório): Eu toda contente! Ia ter o meu pequenote nos braços mais cedo, era a festa!!! Ria e sorria e voltava a rir sozinha!
Segunda reacção (dia 25): Caiu-me tudo... Não sei bem explicar o que estava a sentir nesse dia, mas só me dava para chorar. Ora de emoção pelo que estava muito prestes a acontecer, ora já com saudades da minha barriga, ora já com saudades de o ter só meu e ter que o partilhar com o resto do mundo. O pai bem me tentou animar, bem me levou a jantar fora, e só me dizia "só está para acontecer o que tu mais querias! anima-te!". Ele não conseguia entender-me porque eu também não me conseguia fazer explicar, só chorava MESMO! Parecia doidinha...
Terceira reacção (dia 26): Sair para tratar de pormenores que ainda não tinham sido tratados, e lavar, lavar e lavar coisas, e arrumar outras (que já tinham sido arrumadas não sei quantas vezes, como por exemplo, as malas). Fiz literalmente o ninho!
Quarta reacção (dia 27): Continuei a fazer o ninho! Sim, porque o meu rebento podia nascer no dia seguinte! Lá refiz as malas e deixei-as em cima dos sofás direitinhas, pus à porta a maxi-cosi (com os protectores dos vidros dos carros dentro - para o pai saber exatamente onde estavam e colocar tudo direitinho no carro, no grande dia de virmos os 3 para casa).

E eis que chega o dia 28. Acordei às 7 a morrer de fome (já tenho saudades disto!) e tomei o pequeno almoço (a Dra J tinha dito que eu só podia comer até às 8 porque se o baby tivesse que nascer convinha estar em jejum, por isso os timmings estavam correctos), voltei a rever tudo e ainda juntei às malas o que só podia ser mesmo em cima da hora, como porta-moedas, telemóvel e máquina fotográfica. Estava tudo mais que pronto, por isso, vamos lá!

Eram 11:00 quando me chamaram. Se até então o pequeno ainda se mexia, já devia estar a sentir tanta fome como eu (que já estava a desfalecer) e no CTG quietinho quietinho. E como estava quietinho, toca a esperar mais um pouco a ver se ele se mexe, mas quanto mais se esperava mais a fome crescia em nós. E ainda me diziam "mas ó mãe, não comeu hoje?", e só me apetecia saltar-lhes ao pescoço... Depois, na eco, o nível de líquido mantinha-se pelo que marquei encontro com a obstetra na terça para combinarmos tudo.

Se por um lado, até ir para a maternidade só pensava "quero tanto tê-lo hoje e vou ficar tão triste se for adiado", por outro, quando soube que afinal ainda não ia ser, só me lembro de sair disparada para ir ter com o I e dizer "já posso comer!!!!!!" a irradiar felicidade! E pronto, foi a última vez que comi sushi grávida, com o mar a rebentar ao nosso lado, e nós os 3 consoladinhos! 

Acompanhe o Aventuras a 4 no Facebook aqui!

4 comentários:

elsacardoso disse...

Um mar de emoções à flor da pele... sushi à beira-mar ( talvez no Shis, que é ótimo )- aguardo a continuação da aventura da mamã :) Beijinhos

amigos das onze horas disse...

Revi-me tanto nas tuas palavras. No dia 28 de Abril mas do ano passado entrei em trabalho de parto das 6h da manhã até quase às 21h. Tirando umas bolachinhas maria que comi às 7h da manhã,não comi mais nada o resto do dia. Por isso, lembro-me bem da fome que eu passei (só pensava em comida!). Aliás o meu querido marido fez questão de gravar esse dia, e sempre que revejo essas imagens, muito me rio com os meus lamentos e pedidos acerca de comida.
Aproveita bem estes dias maravilhosos que estás a viver. É que passa tudo muito depressa

CP disse...

Acertou, D. Elsa =) Beijo grande! O capítulo 2 está a ser escrito ;)

CP disse...

Obrigada pelo comentário! Estes episódios da nossa vida serão lembrados para sempre e com estes pormenores todos que lhes dão toda a graça!
E realmente passa muito depressa! Já foi há mais de uma semana... Mas por outro lado, parece que foi sempre assim... e é tão bom! =)
Beijinho!

Enviar um comentário